Isis Helena

A pequena Isis Helena de um ano e dez meses, esta desaparecida de Itapira, interior de São Paulo, desde o dia 02 de março de 2020. 

De acordo com as informações prestadas  no Boletim de Ocorrência lavrado pela mãe Jennifer Natalia Pedro,  a filha sumiu de dentro da casa, onde mora com os bisavôs
.
Ainda conforme descreveu, a bebê nasceu prematura, com microcefalia e toma remédios controlados; não consegue nem engatinhar, o que impossibilitaria a saída da criança sozinha da casa.

Jennifer conta ainda, que saiu pela manhã do ocorrido e deixou a filha dormindo no colchão, dentro do quarto, enquanto em outro cômodo, estava seu avô, (e bisavô da criança), que sofre de Alzheimer e tem 90 anos.


Ao retornar ao imóvel, depois de aproximadamente duas horas, viu que a porta estava aberta e que Ísis havia sumido.

Desde então, equipes das polícias Militar e Civil, Guarda, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, além de voluntários e familiares, realizaram inúmeras buscas pela cidade e região.  Foram efetuadas em lago, com auxílio de mergulhadores, e também varredura pela cidade com cães farejadores, mas nada que pudesse acrescentar à investigação, foi encontrado.

O que se sabe até agora é que Isis Helena estaria inquieta, por não ter passado muito bem e foi dormir às 4h da manhã na madrugada daquela segunda-feira (02/03/2020), mesmo dia em que desapareceria de casa.

Que a pequena Isis nasceu prematura, com microcefalia, não anda e faz uso de remédios controlados.

A menina vestia um body cor-de-rosa, estava deitada no colchão, no chão, onde dormia sempre com a mãe.

Que a criança ficou dormindo em um cômodo da casa, enquanto o bisavô com problemas de saúde dormia em outro.

Que Jennifer ao voltar ao imóvel, encontrou a porta aberta, e Ísis havia sumido.

O pai da criança, Rafael Wendell Siqueira Schotem, contou que não consegue fazer mais nada desde o desaparecimento da filha. Que não teve uma convivência com a mãe de Isis, que nunca existiu uma relação séria entre eles.

Manoella Martins, namorada de Rafael, também teve o nome envolvido em meio à investigação. Assim sendo, procurou imagens de câmeras de segurança que mostram seu trajeto na manhã do sumiço e as entregou a policia. As imagens provariam que ela esteve longe da casa de onde Isis foi levada no dia do ocorrido.

A tia avó da criança Valéria Massari, acredita que Isis Helena esteja bem e com vida. Esperança que cerca todos os familiares.

No decorrer desse mês Jennifer Natalia Pedro esteve na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) para registrar um boletim de ocorrência sobre ameaças que estariam sendo feitas por um grupo de pessoas. Ela entregou o celular dela à polícia, após receber mensagem de áudio onde teria sido feita uma espécie de convocação para ir até a frente da casa da família.

A Polícia considera todas as testemunhas ouvidas como peças chave.

O que não foi esclarecido ainda:

O que a Policia já tem de concreto?

As linhas de investigação partem por qual indicio?

Todos os familiares, amigos e vizinhos foram ouvidos na delegacia sobre o caso?

Existem suspeitos?

Há imagens de câmeras próximas da residência onde a menina desapareceu?

A Polícia já analisou essas imagens?

O trabalho da perícia no imóvel apontou a presença de mais alguma pessoa na cena que não os familiares da menina?

Substancia usada pela polícia para detectar vestígios de sangue, em diversos locais provocou a quimiluminescência?

Em nota a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) ressalta que detalhes não podem ser divulgados pois "o inquérito está sob sigilo policial".

"O caso segue em investigação na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Itapira, com auxílio da Delegacia Especializada Antissequestro (Deas) de Campinas e da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Mogi Guaçu", diz o texto.

Pistas falsas, contradições, informações desencontradas, muitas especulações, poucas respostas convincentes, e as perguntas que ninguém ainda conseguiu responder:

- Como Isis Sumiu?

- Onde esta essa bebê?

 

 

Atualizando: Em 24 de março de 2020,  Jennifer Natalia Pedro, juntamente com a polícia, refez os passos, reconstituindo assim seus percursos no dia do sumiço da filha, a pequena Isis.

Por: Elizabeth Misciasci